• +351 232 546 013
  • Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
  • Terças-Feiras 20h - 21h

História

História da Freguesia

Esta nossa terra de Avelal, por muitos considerada a capital das aldeias, (pelo facto de estar recheada por um conjunto de estruturas singulares e também por aí existir uma dinâmica especial na criação de emprego e de riqueza) tem um longo e glorioso passado
avelal
Avelal é uma freguesia portuguesa do concelho de Sátão, com 6,81 km² de área e 529 habitantes (2011). A sua densidade populacional é 77,7 hab/km².
Avelal, de Avelanal, terra de avelãs, fruto que muito bem se dá nestas terras do Sátão, onde também há a Avelosa. Inicialmente era uma localidade da freguesia de Santa Maria do Sátão, e assim se conservou desde o século XII até ao século XVI, em que, dividindo-se a freguesia do Sátão, o Avelal ficou a pertencer à de Mioma.
Há questão de um século, foi desanexada da de Mioma e integrada na de Decermilo, muito próxima e mesmo à vista, na qual se manteve até ao seu desmembramento, em 5 de Março de 1958, a freguesia civil de Avelal, é criada sob o orago de S.José.

A aldeia subdivide-se em duas partes distintas; a parte velha que engloba as casas de granito, o forno comunitário (lugar importantíssimo na dinâmica da aldeia, que servia também de ponto de encontro, de convívio e onde a maior parte da população antiga vai buscar as suas raízes recentes e algumas histórias de ostentação, fermentadas com alguma mendicidade).

 

As fontes da Calçada, do Eirô e da Lameira, os tanques da Santinha e a capela de Santa Eufémea.

 
E a parte nova, com moradias dispersas, de arquitectura moderna e melhores condições de habitabilidade, a denotar influências evidentes dos países da imigração. Nesta zona situam-se as suas obras imponentes, que fizeram (e fazem) do Avelal, uma das mais evoluídas e bonitas aldeias deste país. Quantas aldeias de Portugal se podem orgulhar de ter tido um Hospital, ou terem ainda um Posto de CTT, uma igreja moderna, um Posto da Guarda Nacional Republicana, etc.

Em relação às festas, entre outras (S. José, Santa Eufémia, Santa Bárbara) destacam-se, o Sr. da Agonia e a Feira anual. O Sr. da Agonia é uma festa antiquíssima, perdendo-se pelos tempos a sua origem, aparecendo em alguns livros, que também se terá chamado Sr. dos Aflitos. Conta a lenda, que indo um rico mercador a passar naquele sítio, vendo-se aflito perante a presença ameaçadora de uns ladrões, rogou ajuda a Deus, surgiu este santo protector que o salvou. Depois de algumas tentativas frustadas, a imagem do Senhor da Agonia foi levada em procissão para Viseu e lá ficou, até hoje, no adro da Sé. Antigamente a festa realizava-se no último domingo de Setembro, depois passou a ser no primeiro de Julho e ultimamente ocorre no segundo.
 
A Feira anual, que começou por ser realizada em Janeiro, já há muito tempo que ela tem lugar, no primeiro domingo de Setembro. Hoje esta feira ocupa um lugar de destaque no panorama desportivo, cultural e social da região, com presença ultimamente dos melhores artistas nacionais. Integrada nas festas e no longo dos últimos vinte e cinco anos sem interrupção tem-se realizado a grande prova de Ciclismo de Avelal.

A subsistência das pessoas do Avelal proveio primeiramente da agricultura, criação de gado e mais tarde, com a emigração.
Quanto à emigração, ela provavelmente começou há bastantes anos nesta aldeia, pois as pessoas perante as dificuldades, não tinham outra solução, senão ir procurar melhores meios de vida para outros lugares. Inicialmente e já que as terras que sustentavam as bocas famintas da aldeia, pertenciam às remotas casas de Aguiar e Tojal, muitos dos braços fortes tinham que partir, ora para o Alentejo, ora para o Douro, conforme a época do ano.

Relativamente à emigração externa, o primeiro país a acolher de braços abertos os nossos conterrâneos foi Brasil, devido a uma ligação fraternal de muitos séculos e por falarmos a mesma língua. Nas décadas de sessenta e setenta foram a França e a França e Alemanha e ultimamente a Suiça. Este fenómeno migratório encaminhou o Avelal para um caminho irreversível, com grandes transformações sociais, económicas e arquitectónicas.

A paróquia de S. José de Avelal, com os limites territoriais coincidentes com os da freguesia civil, foi criada no dia 13 de Junho de 1985 e homologada no dia 28 de Fevereiro de 1991.
Todos estes direitos e glórias, conquistados ao longo da nossa história comum, foram obra de muitas pessoas, no entanto, temos que salientar o maior benemérito desta terra, Elisio Ferreira Afonso.
Hoje o Avelal é uma terra com bastante potencial económico, com empresas ligadas à transformação, essencialmente de pedra.
Tem uma população à volta de 600 pessoas residentes.
© 2019 Freguesia de Avelal. All Rights Reserved. Powered by WebiArte